Ferramentas de montagem de velas de ignição ZMH 001 da BERU

A extensão do braço do mecânico

zk_werkzeuge01.gif

Problema: no compartimento do motor existe, muito frequentemente, uma enorme falta de espaço. Ao enroscar e desenroscar a vela de ignição, existe não só o risco de a mão ficar ferida ou queimada no motor, como também a possibilidade de a vela de ignição se danificar devido a queda.

Solução: a ferramenta de montagem de velas de ignição BERU em borracha funciona como "extensão do braço do técnico de montagem": ela segura a vela eficazmente e permite enroscar e desenroscá-la com cuidado depois de a soltar ou antes de a apertar.


Ferramentas de montagem de velas de ignição ZMH 002 da BERU

Substituição segura das velas de ignição sem emperrar

zk_werkzeuge02.gif

Problema: devido à abertura relativamente grande da caixa da vela de ignição, há o perigo de a chave de velas ficar inclinada e partir o isolador se as velas forem montadas e desmontadas com uma extensão. Consequência: as falhas de ignição resultantes das descargas de tensão no isolador partido da vela de ignição podem destruir o catalisador.

Solução: basta inserir a ferramenta de montagem BERU, que pode ser aplicada em quase todos os modelos de veículo, na extensão da vela de ignição de 3/8” e pressioná-la para dentro da caixa da vela. A chave de velas mantém-se assim paralela à caixa sem emperrar.


zk_werkzeuge04.gif

Haste do isolador partida por a chave de velas ou a extensão ter emperrado.


zk_werkzeuge03.gif

À esquerda: uma imagem do compartimento do motor mostra o problema: as velas de ignição dos modernos motores multiválvulas encontram-se tão profundas na cabeça do motor que só se torna possível montá-las ou desmontá-las mediante uma extensão. No entanto, isso pode causar emperramento!

Ao centro: a largura da caixa aumenta a possibilidade de emperramento da chave de velas e do prolongamento.

À direita: graças à ferramenta de montagem de velas de ignição BERU 002, é possível apertar e desapertar a vela de ignição sem haver o perigo de emperramento. Desta forma, evita-se a ocorrência de fissuras no isolador e consequentes danos e falhas na ignição, o que poderia destruir o catalisador.